Blog

Dicas para apresentar uma Proposta de Valor


03/09/2019

No artigo anterior falamos sobre a importância de deixar clara sua proposta de valor ao seu cliente. Hoje vou te dar dicas de como identificar seus pontos fortes, transformando-os em conhecimentos agregadores de valor ao seu trabalho.

 

1. Fale menos de competências e mais de resultado: “o povo não quer Deus; o povo quer o milagre”, já dizia Dostoievski.

 

Sabemos que suas competências são inúmeras, dentre elas estão a habilidade de planejar, senso de oportunidade, criatividade, flexibilidade entre outros, mas para completar esse combo você precisa manter o foco nos resultados. 

 

O foco é uma das competências mais cobiçadas pelos profissionais, porque ela  demanda coragem, determinação, definição de prioridades e concentração no objetivo. 

 

Quando se trata do seu cliente, nunca é sobre você e sempre sobre eles. O que eles precisam, o que querem, quais suas necessidades. Seu público busca sonhos e satisfação pessoal, em resumo, eles querem saber COMO O SEU PRODUTO OU SERVIÇO TORNARÁ A VIDA MELHOR?  

 

Quando o seu foco está alinhado com o que seus clientes buscam, seus resultados passam a ser positivos. 

 

2. Fuja do discurso padrão: aprenda a fazer perguntas, descubra os anseios do seu interlocutor e direcione a sua proposta de valor para as necessidades apresentadas.

 

CRIE O HÁBITO DE PERGUNTAR, sempre que possível crie oportunidades de aproximação com seu cliente, por meio de enquetes, interação nas redes sociais, conheça os gostos e expectativas do seu público, quanto mais o conhecer, mais assertiva será suas experiências de atendimento/venda.

 

Saiba identificar as informações relevantes e use sua criatividade, esqueça a ideia de fazer pesquisas de opinião com notas de 0 a 10, dê liberdade ao seu cliente de expressar abertamente opiniões de uma maneira atrativa. Aprofunde-se no universo de cada um, identificando seus anseios, sonhos, necessidades e principalmente atentando para ideias e sugestões que possam ser incorporadas ao seu crescimento pessoal. 

 

“dê liberdade ao seu cliente de expressar abertamente opiniões de uma maneira atrativa”

 

3. Não se venda como guru: ser especialista, não é ser o dono da razão. As pessoas estão cansadas de promessas vazias.

 

Seja autocrítico, busque sempre se aprimorar e tenha consciência que há sempre o que aprender e melhorar, entendendo isso você não se tornará um profissional arrogante que acredita ter todas as respostas.

 

Seu público quer mais do que respostas prontas, querem diferenciais, inovações e soluções que sejam embasadas em conteúdo e de simples entendimento. Uma boa estratégia é se concentrar verdadeiramente em sanar as dúvidas e problemas do seu cliente, esse diferencial é que deixa clara a sua proposta de valor.

 

4. Seja crítico, mas respeite a história do seu interlocutor: se a pessoa chegou até ali, com seus erros e acertos, merece o seu respeito. Contribua, acrescente, não destrua.

 

Um exemplo:

 

Como Educador Executivo desenvolvo metodologias de alto impacto para auxiliar profissionais e organizações a construírem resultados mais consistentes por meio de uma atuação produtiva, ou seja, oriento profissionais ajudando empresas a superarem seus desafios diários, apoiando-os em momentos de impasse. 

 

Eu preciso contribuir para os negócios (e carreiras de quem trabalha ali), então como profissional eu analiso o todo na empresa, os erros e acertos, meu papel é melhorar o que está bom e propor estratégias para o que não está. Enxergando todo o potencial da organização, respeitando e entendendo sua missão e valores. 

 

5. Seja você: autenticidade é o nome do jogo. Como diria a saudosa Dulce Magalhães: “Marketing Pessoal não é vender uma melhor imagem de nós mesmos e sim, nos tornarmos pessoas melhores”.

 

Não seja um personagem, você não vai agradar a todos, seja honesto consigo e seu público. Valorize o que você tem de melhor. 

Clique aqui e descubra se você gera valor ao seu trabalho.

 

Comentários